Não adianta treinar os funcionários, se depois eles vão embora

por Fabio Frasson, escritor e palestrante.

Quando a gente fala em treinamento para as empresas, é muito comum ouvir algo do tipo “não adianta treinar os funcionários, se depois eles vão embora”. Ou, então, “você treina, treina, treina, e o cara vai trabalhar pra concorrência ou abre um negócio e vira seu concorrente”.

Eu entendo essa preocupação, por parte do empresário. Eu entendo que não é fácil abrir todo mês com zero de faturamento garantido e cheio de contas pra pagar. Entendo que quando você investe, tem sempre uma grande expectativa, com relação ao retorno. Mas, há muitas coisas que fazem parte do chamado “risco do negócio”. Ou seja, todo negócio tem riscos inerentes, específicos, com os quais você tem que lidar.

Dia desses, eu estava conversando com um amigo sobre esse assunto. Ele é bem jovem, tem 21 anos, e já é empresário. Ele estava reclamando de um ex-funcionário que, depois de aprender “tudo”, tinha “apunhalado” pelas costas e montado um negócio concorrente. Ele estava inconformado. Ele dizia “você treina o cara, até ele ficar bom, e ele vira as costas pra você. E pior, tem o contato de todos os meus clientes…”

Aí, eu perguntei pra ele: “Mas não foi isso o que você fez, também?” Você trabalhava em uma empresa, visitava as empresas, vendendo esse produto e, quando sentiu que estava pronto e que era isso o que queria fazer, você pediu demissão e montou a sua empresa”. Faz parte do processo. Todo mundo começa assim, sem saber nada, aprendendo, sendo treinado, e vai tomando decisões, construindo o seu caminho. Não há nada de errado com isso. É normal.

Agora…, adiantaria alguma coisa, se você contratasse alguém e não treinasse? Adiantaria ter um funcionário com você que não soubesse trabalhar? Você precisa que ele saiba o que fazer, que ele seja bom. O que ele vai fazer com isso depois, que caminho ele vai construir, não está sob o seu controle. Faz parte do negócio. Você precisa que ele gere os melhores resultados, enquanto estiver trabalhando com você, que ele entregue a melhor qualidade possível, com a melhor produtividade possível, enquanto ele estiver com você.

Existe uma frase, atribuída a Henry Ford, que diz assim

Só há uma coisa pior do que formar colaboradores e eles partirem. É não formá-los e eles permanecerem”.

Ou seja, ter uma equipe mal preparada, por muito tempo, trará sempre resultados ruins. E isso é muito pior do que ter colaboradores capacitados, por pouco tempo.

Pense na qualidade do trabalho que sua equipe pode executar, se estiver bem treinada. Pense na capacidade desta equipe, de gerar valor para o seu cliente e cativá-lo. Pense nos resultados que uma equipe bem treinada pode gerar para a sua empresa.

Agora, compare tudo isso com o trabalho meia boca feito por colaboradores sem treinamento. Imagine seu cliente entrando em sua empresa e saindo sem atendimento. Imagine seu cliente saindo da sua empresa e comprando com seu concorrente. Imagine seu cliente insatisfeito, reclamando da má qualidade do atendimento recebido em sua empresa. Imagine a falta de resultado, de vendas, de faturamento, de lucratividade, gerado por seus colaboradores, por não estarem preparados para fazer um bom trabalho.

Entenda que os recursos utilizados para promover o treinamento de sua equipe são investimentos necessários para que o negócio possa prosperar. Mesmo que esse investimento seja permanente.

Quando eu publiquei o livro “Será que é óbvio? O poder do atendimento”, depois de ter feito muitas pesquisas, identifiquei que um dos principais fatores que geram o mau atendimento, prestado em grande parte das empresas, é a falta de preparo; não o preparo técnico, específico, mas a falta de preparo para atender clientes. Boa parte dos “profissionais” do atendimento não sabem atender pessoas, não sabem se comunicar, de forma proativa, não demonstram boa vontade e acolhimento, não sabem fazer o cliente se sentir “em casa”.

Quantas vezes, você já entrou em uma empresa, como cliente, e saiu de lá com a sensação de ter sido mal atendido? Quantas vezes você entrou em uma loja de roupas, num supermercado, padaria, farmácia, banco ou casa lotérica, e sentiu indiferença, por parte dos vendedores e atendentes, como se a sua presença, ali, estivesse mais atrapalhando do que contribuindo? Uma das principais razões para que isso ocorra é a falta de preparo para atender, a falta de treinamento.

É importante salientar que, “em um mundo que muda tão rapidamente, aprender de forma contínua deve fazer parte da nossa essência”. Aprender, relembrar, reciclar, aprimorar…, ações que devem ser permanentes, dentro de qualquer empresa, independentemente do porte, localização, ou ramo de atividade.

Uma equipe despreparada produz menos, com menor qualidade, com maior custo e, consequentemente, com menor rentabilidade. Uma equipe sem treinamento desperdiça oportunidades, gera insatisfação e perda sucessiva de clientes.

Deixar de treinar os seus colaboradores, com receio de perdê-los, é como não tomar remédio, quando está doente.

Pense em treinamento como um imposto, cuja multa é garantida, se você não pagar direitinho. E o pior é que essa multa pode quebrar o seu negócio, pode ser a diferença entre aquelas empresas que só existem nas estatísticas, e aquelas que seguem firmes no mercado, que prosperam e se fortalecem.

Se você ainda acha que não vale a pena treinar a sua equipe, tudo bem; sua concorrência agradece.

Agora, se você é um empreendedor de verdade, que luta, que persiste, que sonha, que batalha, que faz o que for necessário para que seu negócio dê certo, saiba que mais vale investir recursos para afiar o machado, do que insistir em lenhar com a lâmina cega.

Eu sou Fabio Frasson, e espero estar contribuindo com o seu caminhar. Desejo a você muito sucesso e resultados extraordinários.

Vamos juntos, evoluindo sempre!

Até a próxima.